Mandioca como fonte de renda e utilização de bioinsumos marcam terceiro dia da Semana da Agricultura Familiar

União entre pesquisa e segmento rural familiar é ponto chave em tarde de palestras promovida pelo Governo de Goiás, por meio da Emater e Seapa

Base alimentar de muitas regiões brasileiras, a mandioca foi o principal tema discutido nesta quarta-feira (21), na Semana da Agricultura Familiar, evento promovido pelo Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). As primeiras palestras do dia dedicaram-se ao debate sobre a cultura da raiz e como as pesquisas desenvolvidas pela Emater podem impactar na produtividade das pequenas propriedades que têm a mandioca como fonte de renda.

O coordenador do Programa de Melhoramento de Mandioca da Agência e pesquisador do convênio Emater-Fapeg [Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás], Ivanildo Ramalho, abriu o ciclo de atividades mostrando os trabalhos executados na Estação Experimental de Porangatu. No local, são avaliadas diversas variedades de mandioca de mesa e de indústria para que possam ser implantadas adequadamente pelos produtores.

De acordo com o profissional, para aumentar a produtividade da mandioca na agricultura familiar é fundamental que os trabalhadores do campo adotem procedimentos antes e depois do plantio. Por isso, a assistência técnica é essencial para levar informações e orientações para as propriedades. Entre os fatores mais importantes estão a escolha da variedade a ser plantada, seleção da área e análise do solo.

Na sequência, a também pesquisadora do convênio Emater-Fapeg, Bruna Valente, apresentou uma palestra sobre como o trabalho científico e o produtor rural estão operando juntos para aumentar a produtividade em propriedades assentadas. Como exemplo, o agricultor familiar Douglas Antônio, do Assentamento Bacuri, em Uirapuru, participou do encontro para relatar as transformações obtidas com a aplicação de novas tecnologias.

Segundo Valente, foram diagnosticados dois problemas principais no assentamento: baixa produtividade e baixa adoção de tecnologias. A Emater atuou levando orientações em todas as etapas do sistema de produção, como seleção de variedades, preparo de solo, espaçamento correto e tratos culturais.

Os resultados foram obtidos com êxito. O agricultor Douglas Antônio revelou que com as variedades tradicionais eram produzidos 80 quilos de polvilho para cada tonelada de mandioca. A introdução de materiais de maior padrão genético elevou a produção para 250 quilos a cada tonelada. “Depois da Emater, as portas se abriram, não só do conhecimento mas também das oportunidades”, contou.

Sustentabilidade em pauta

A rodada de palestras foi encerrada com o debate sobre utilização de bioinsumos, conduzido pelo superintendente de Produção Rural Sustentável da Seapa, Donalvam Maia, e pelo chefe de gabinete da pasta, Renato de Sousa. “Mais que uma tendência, o bioinsumo já é uma realidade que vem se apresentando não somente para o grande agronegócio, mas como oportunidade de ouro para a agricultura familiar”, alertou este último.

Recentemente, o Governo de Goiás instituiu o Programa Estadual de Bioinsumos, cujo objetivo é ampliar e fortalecer a adoção de práticas para a evolução do setor agropecuário, com a expansão da produção, do desenvolvimento e da utilização de bioinsumos e sistemas de produção sustentáveis.

Para Donalvam, antes da difusão de insumos biológicos é imprescindível um minucioso gerenciamento de informações para levantar dados concretos a respeito de mercado e produção. “Estamos organizando este arcabouço de informações. Temos uma grande demanda por produtos orgânicos e sustentáveis que a oferta não consegue suprir”, pontuou.

Semana Estadual da Agricultura Familiar

A Semana Estadual da Agricultura Familiar foi instituída pelo governador Ronaldo Caiado, por meio da sanção da Lei nº 20.513, de 12 de julho de 2019. Desde aquele ano, sempre na semana que compreende o Dia Nacional da Agricultura Familiar, em 24 de julho, devem ser desenvolvidas atividades para celebrar esse segmento que é fundamental para o desenvolvimento de Goiás.

Programação

Assim como na edição do ano passado, a próxima Semana da Agricultura Familiar será exclusivamente digital, com transmissão ao vivo das palestras, em decorrência da pandemia de Covid-19. Entre os temas que serão debatidos estão melhoramento genético de gado a preços acessíveis, produção de cerveja com mandioca da agricultura familiar, como a pesquisa desenvolvida pela Emater beneficia o pequeno produtor rural e detalhes sobre Crédito Rural. Além disso, o evento irá mostrar cases de sucesso com a participação de agricultores familiares assistidos pela Agência que tiveram suas vidas transformadas pela assistência técnica.

Confira a programação completa dos próximos dias de evento aqui

Assista o terceiro dia da Semana da Agricultura Familiar:


Comunicação Setorial da Emater – Governo de Goiás
comunicacao.ematergo@gmail.com | +55 62 3201-2322
www.emater.go.gov.br
@ematergoias