A Emater

A Emater tem por objetivo principal realizar atividades de Assistência Técnica, Extensão Rural e de Pesquisa Agropecuária, prioritariamente aos Agricultores Familiares e suas organizações, objetivando geração de renda, inclusão social e a melhoria da qualidade de vida das famílias rurais.

Público-alvo

A Emater tem como principal beneficiário de seus serviços/produtos o Agricultor Familiar e suas organizações, atendendo também os médios e grandes produtores rurais, e a sociedade em geral.

Como trabalhamos

A Emater se utiliza de métodos próprios de comunicação e meio rural e fundamentos na andragogia (educação de adultos), respeitando e resgatando o saber e o conhecimento dos agricultores. Para a execução de suas atividades são utilizados métodos simples e complexos, como também individual, grupal, massal e participativos.

Missão

Contribuir para o desenvolvimento rural sustentável por meio da inovação, proporcionando o aumento da renda e da qualidade de vida no campo.

 

Visão

Se consolidar como a Agência de Inovação Rural de referência nacional em pesquisa agropecuária, assistência técnica e extensão rural.

 

Valores

Inovação
Protagonismo
Comprometimento
Transparência
Credibilidade
Confiança
Ética
Cooperação

Estrutura Organizacional

Veja como funciona a Emater

A Emater está sediada em Goiânia e possui jurisdição em todo o Estado de Goiás.

Neste ano, a Acar Goiás foi unificada à Coordenadoria de Assistência Técnica da Secretaria da Agricultura e passou a se chamar Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás (Emater- GO). No mesmo período, a Empresa Goiana de Pesquisa Agropecuária (Emgopa) foi incorporada à Emater – GO, conforme determinado pela Lei Estadual nº 12.733 e regulamentado pelo Decreto Estadual nº 4.628. A partir de então, ações de pesquisa e assistência técnica passaram a ser realizadas de maneira integrada em Goiás.

Além das Unidades Regionais, a Emater conta também com 220 Unidades Locais, que são diretamente ligadas às Unidades Regionais. Esses escritórios, por sua vez, são responsáveis pelo atendimento direto ao produtor rural no município estabelecido e região.

Unidades de Pesquisa Agropecuária Desenvolvem pesquisas em projetos específicos e sob demanda, para criar novas tecnologias e validá-las no campo com a Transferência de Tecnologia pela assistência Técnica e Extensão Rural.

Estações de Pesquisa São 4 unidades estruturadas e responsáveis pelo desenvolvimento de projetos específicos de pesquisa agropecuária aplicada com fruteiras, hortaliças, grãos, raízes e pequenos animais.

Anápolis | Araçu | Goiânia | Porangatu

Campos Experimentais São 3 unidades de pesquisa agropecuária que desenvolvem atividades relacionadas a melhoramento (desenvolvimento de cultivares e produção).

Luiz Alves | Rio Verde | Flores de Goiás

 

Cabe à Emater

I – Executar a política estadual de assistência técnica, extensão rural, pesquisa agropecuária e atividades correlatas ao desenvolvimento rural sustentável, atendendo prioritariamente à agricultura familiar, em consonância com a Lei federal no11.326, de 24 de julho de 2006.

II – Planejar, coordenar e executar planos, programas e projetos de assistência técnica, extensão rural, pesquisa agropecuária e desenvolvimento rural sustentável, nas áreas agrossilvipastoril, aquícola, de turismo rural, artesanal e agroindustrial.

III – Promover atividades de classificação de produtos de origem vegetal e certificação de produtos de origem animal.

VI – Implementar a geração, validação, difusão e transferência de conhecimentos, tecnologias, produtos e processos de natureza técnico-econômico-social e socioambiental, visando ao aumento da produção agropecuária, à competitividade do agronegócio e da agricultura familiar, de acordo com as políticas e ações dos governos estadual e federal.

V – Viabilizar a comercialização de produtos de origem vegetal e animal, bem como de tecnologia e serviços inerentes à realização de pesquisa agropecuária, assistência técnica e extensão rural, classificação de produtos de origem vegetal e certificação animal.

VI – Implementar a geração, validação, difusão e transferência de conhecimentos, tecnologias, produtos e processos de natureza técnico-econômico-social e socioambiental, visando ao aumento da produção agropecuária, à competitividade do agronegócio e da agricultura familiar, de acordo com as políticas e ações dos governos estadual e federal.

VII – Colaborar na formulação e execução das políticas públicas relacionadas com a sua competência, incluindo-se as questões de infraestrutura rural, junto aos órgãos e às entidades federais, estaduais e municipais.

VIII – Estabelecer, com órgãos federais, estaduais e municipais, uma política de parcerias, com vistas ao desenvolvimento de ações de sua competência.

IX – Disponibilizar informações e conhecimentos no campo agropecuário, favorecendo o estabelecimento de melhores estratégias e o desenvolvimento de processos de gestão de abordagem sistêmica, que permitam o alcance técnico e científico necessário à viabilidade do agronegócio e da agricultura familiar.

X – Executar as competências previstas na legislação de proteção ao capital intelectual, de patentes e indicações geográficas e de cultivares.

XI – Celebrar convênios, ajustes e contratos, inclusive para venda de produtos, serviços e tecnologia, com autonomia administrativa e financeira sobre os recursos deles provenientes, destinados ao atendimento de suas finalidades institucionais.

XII – Realizar outras atividades correlatas.

(Fonte: Decreto nº 8.581, de 24 de fevereiro de 2016.)


Direção

Pedro Leonardo de Paula Rezende

Presidente
Agenda
(62) 3201-8800
pedro-lpr@emater.go.gov.br

Antelmo Teixeira Alves

Diretor de Assistência Técnica
Agenda
(62) 3201-8715
antelmo@emater.go.gov.br

Maria Roselene Deusdará Cruvinel

Chefe de Gabinete
Agenda
(62) 3201-8775
maria-rd@emater.go.gov.br

Domiciano Alves da Cruz Neto

Diretor de Pesquisa Agropecuária
Agenda
(62) 3201-8750
domiciano-ac@emater.go.gov.br

Maria José Del Peloso

Diretora de Gestão Integrada
Agenda
(62) 3201-8805
maria-jp@emater.go.gov.br

Taynara Borges de Rezende

Chefe de Comunicação Setorial
Agenda
(62) 3201-8767
taynara-br@rmater.go.gov.br

.

Nossa história

1959 – Criação da Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Goiás (Acar Goiás)

Tem início a execução do serviço da extensão rural em Goiás com objetivo de contribuir para o desenvolvimento econômico e social do setor. No mesmo ano, foram implantados os primeiros escritórios locais em diversos municípios do Estado. As cidades de Jaraguá e Ceres foram pioneiras.

1975 – Criação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás (Emater- GO)

Neste ano, a Acar Goiás foi unificada à Coordenadoria de Assistência Técnica da Secretaria da Agricultura e passou a se chamar Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás (Emater- GO). No mesmo período, a Empresa Goiana de Pesquisa Agropecuária (Emgopa) foi incorporada à Emater – GO, conforme determinado pela Lei Estadual nº 12.733 e regulamentado pelo Decreto Estadual nº 4.628. A partir de então, ações de pesquisa e assistência técnica passaram a ser realizadas de maneira integrada em Goiás.

1999 – Agência Rural e Seagro

Neste ano, a Emater passou a se chamar Agência Rural, nome que vigorou até 2008, quando suas atividades institucionais foram transferidas à então Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seagro).

2010 – Reativação da Emater-GO

A Emater-GO foi reinstituída em 2010 e desde então passou a ter como competências básicas a execução da política estadual de assistência técnica, extensão rural e pesquisa agropecuária e a promoção de atividades de classificação de produtos de origem vegetal e de certificação de produtos de origem animal.

2011 – Emater Agência

No ano de 2011, a Lei Estadual nº 17.257 transforma a Emater-GO em Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater). Desde de então, a Emater passou a ser uma entidade autárquica estadual, dotada de personalidade jurídica, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial.

2015 – Agência de Inovação Rural

Jurisdicionada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED), a Emater passa a ter como objetivo principal se consolidar como a Agência de Inovação Rural de Goiás. Sobre os eixos da assistência técnica, da extensão rural e da pesquisa agropecuária, a Emater atua com o propósito de transformar as comunidades rurais para melhor, por meio da emancipação e elevação de renda dos produtores.

2015 – Autarquia Especial

Em julho 2016, a Emater assume status de autarquia especial, conforme determinação da Lei Estadual nº 19.376. A partir de então, a Agência passa a ter maior autonomia funcional, administrativa e orçamentária, de acordo com as normas da administração pública.



Centro de Inovação Rural

O Centro de Inovação da EMATER tem como objetivo planejar, coordenar, executar e apoiar as atividades de capacitação interna do pessoal da EMATER, de produtores rurais, parceiros e clientes externos que venham a utilizar a infra-estrutura didática do Centro, através da locação se seu espaço físico. Além disso, conta ainda com um Campo Experimental especializado em pesquisa e produção de mudas de plantas nativas do cerrado.

Unidade de Extensão

Por entender que o Estado de Goiás possui inúmeras especificidades, a Emater erradia sua atuação por meio de 12 Unidades Regionais, definidas a partir das características geográficas, econômicas e produtivas de cada região. Tais unidades são centros estratégicos que capilarizam a atuação da Agência de Inovação Rural nos demais municípios de Goiás.

Além das Unidades Regionais, a Emater conta também com 220 Unidades Locais, que são diretamente ligadas às Unidades Regionais. Esses escritórios, por sua vez, são responsáveis pelo atendimento direto ao produtor rural, no município estabelecido e região.

Unidade de Pesquisa

Unidades de Pesquisa Agropecuária: Desenvolvem pesquisas em projetos específicos e sob demanda, para criar novas tecnologias e validá-las no campo com a Transferência de Tecnologia pela assistência Técnica e Extensão Rural.
Estações Experimentais: São 4 unidades estruturadas e responsáveis pelo desenvolvimento de projetos específicos de pesquisa agropecuária aplicada com fruteiras, hortaliças, grãos, raízes e pequenos animais: Anápolis, Araçu, Goiânia e Porangatu.
Campos Experimentais: São 3 unidades de pesquisa agropecuária que desenvolvem atividades relacionadas a melhoramento (desenvolvimento de cultivares e produção): Luiz Alves, Rio Verde e Flores de Goiás.